10 Alimentos para incluir em sua Dieta

1. Abacates

São especialmente ricos em ácido oleico monoinstarurado, o mesmo tipo de gordura que é encontrado no óleo de oliva. Além disso, também contêm muita água, pelo que a sua densidade energética não é tão elevada, e são ricos em nutrientes importantes, como a fibra e o potássio.
Mas isso não é tudo: De acordo com um estudo, as pessoas que consomem abacate se sentem mais saciadas e têm um menor desejo de comer nas seguintes cinco horas.

2. Legumes

Ao igual que outras verduras, legumes são ricas em fibras e tendem a ser extremamente satisfatórias para o apetite. Além disso, estes tipos de legumes também contêm quantidades consideráveis de proteína.O que quer dizer isso?
Graças a sua combinação de fibra, proteína e baixa densidade energética, verduras, legumes são os alimentos perfeitos se você está tentando perder peso. Ao mesmo tempo, são muito nutritivos e contêm substâncias anticancerígenas.

3. Ovos inteiros

Um estudo realizado em 30 mulheres com excesso de peso, revelou que comer ovos no café da manhã, no lugar de pães, aumenta a sensação de satisfação e provoca uma redução no consumo de alimento durante as próximas 36 horas. Os ovos são ricos em proteínas, gorduras saudáveis e provocam uma sensação de saciedade com uma pequena quantidade de calorias. Contêm uma incrível densidade de nutrientes, a maioria deles na gema, e podem ajudá-lo a obter todos os nutrientes de que necessita se você tem uma dieta restrita de calorias.

4. Feijões e leguminosas

Estes alimentos costumam ser ricos em proteína e fibra, dois nutrientes que provocam sensação de saciedade e, portanto, reduzem o apetite.
No entanto: Há muitas pessoas que não toleram as leguminosas, por isso é importante cozinhar adequadamente.

5. Salmão

É um alimento que satisfaz o apetite e mantém você cheio durante muitas horas, com poucas calorias, por isso pode ajudá-lo a perder peso.
O salmão também é rico em ácidos graxos ômega 3, que ajudam a reduzir a inflamação, um fator importante para a obesidade e doenças metabólicas. E ainda há mais: O peixe e o marisco em geral, fornecem uma quantidade importante de iodo, nutriente necessário para o bom funcionamento da tireoide.

6. Fruta

Embora contém açúcar, tem uma baixa densidade energética e leva tempo digeri-la. Além disso, a fibra contida no fruto ajuda a evitar que se liberte açúcar ao fluxo de sangue muito rápido. Em outras palavras:
A fruta pode ser um complemento delicioso e eficaz para uma dieta de emagrecimento.

7. Iogurte

Isso se traduz em: Uma proteção contra a inflamação e a resistência à leptina, o principal impulsor hormonal da obesidade. O iogurte ou iogurte com baixo teor de gordura? Diversos estudos mostram que os produtos lácteos integrais, e não de baixo teor de gordura, estão associados a um menor risco de obesidade e diabetes tipo 2. Além disso, os iogurtes com baixo teor de gordura tendem a conter muito açúcar.

8. Frutos secos

Apesar de seu alto conteúdo em gordura, os frutos secos não engordam. Estudos de população também revelaram que as pessoas que comem frutos secos tendem a ser mais saudáveis e mais magras do que as pessoas que não comem. Mas, atenção!:
Os frutos secos também são muito ricos em calorias, assim, que o cuidado com a compulsão.

9. Carne magra e carne de peito de frango

Diversos estudos têm demonstrado que a carne vermelha não processada não aumenta o risco de doenças cardíacas ou diabetes. Mas o que é o melhor de tudo?
Graças aos seus altos níveis de proteína, a carne é um alimento que ajuda a perder peso. Estudos têm demonstrado que o aumento da ingestão de proteína por 25-30 % de calorias pode reduzir o desejo de 60 %, reduzir para metade o desejo de comer a altas horas da noite e por isso causa uma perda de peso de quase meio quilo por semana.
A proteína é o nutriente que mais satisfaz o apetite e seguir uma alimentação rica em proteínas pode fazer você queimar até 80-100 calorias a mais por dia.

10. Vegetais de folha verde

São baixas em calorias e carboidratos e estão repletas de fibra. Os legumes de folha verde são extremamente nutritivos e são muito ricos em todos os tipos de vitaminas, minerais e antioxidantes, entre os quais se inclui o cálcio. Por que é importante o cálcio?
De acordo com vários estudos, o cálcio ajuda a queimar as gorduras. O consumo de vegetais de folha verde é uma excelente maneira de aumentar o volume de suas refeições sem aumentar as calorias.

Dicas para não sofrer com o efeito Sanfona

Muitas vezes o corpo nos pede para comer quando na realidade o que tem é sede. Lembre-se beber frequentemente para eliminar toxinas. Os chás ajudam a queimar gordura e eliminar líquidos.
Após as festas de fim de ano chegam as boas intenções, e com elas as primeiras dietas do ano para perder peso. Mas tão importante quanto a dieta que escolhemos são algumas dicas que nos ajudam a que esta seja efetiva e não nos cause um efeito sanfona posteriormente.

Explicamos alguns truques para nos alimentar melhor, nos suprir com menos comida e a melhor forma de combinar os alimentos para manter-nos saudáveis e em um peso equilibrado.

Evitar dietas de baixa caloria

As dietas muito baixas em calorias não são uma forma saudável de perder peso, já que estamos submetendo o corpo a um stress, ao não dar-lhe o que ele precisa. Por isso, depois destas dietas, o corpo tem mais vontade de recuperar o que foi perdido e, geralmente, além de tentar manter algumas reservas.
Por isso, recomendamos consumir as calorias necessárias, mas melhorar a qualidade dos alimentos e aumentar o exercício físico.

Evitar dietas com alto teor de proteína

Também não são saudáveis dietas que tem em grandes quantidades a proteína. Mesmo que estas nos permitem perder peso em pouco tempo, o corpo também está sendo obrigado a fazer um esforço excessivo, especialmente o fígado e os rins. Se forçamos nossos órgãos a trabalhar mais do que a conta, isso afetará a longo prazo, todo o estresse tem efeitos secundários, mesmo que seja a longo prazo.
A proteína deve fazer parte de nossa dieta, mas acompanhada também por vegetais, frutas e carboidratos.

Mastigar bem

Este passo é fundamental para digerir bem os alimentos, mas também para aumentar a sensação de saciedade ingerir menos comida, já que a fome dura cerca de 20 minutos, quando começamos a comer. Mastigaremos a comida até sentir que praticamente estamos bebendo…

Vigiar as combinações de alimentos

Os alimentos não engordam o mesmo de acordo com o que combinamos, por isso que trataremos de não misturar aqueles que consumidos juntos são mais difíceis de digerir. Em geral, é melhor não misturar muitos alimentos em uma mesma refeição. Por exemplo, uma refeição habitual pode ter uma única opção de cada uma destas três categorias:

  • Proteína: carne, peixe, ovos, legumes.
  • Carboidratos: massas, arroz, batata, pão, etc.
  • Vegetais: legumes, salada, etc.

Tentaremos evitar as sobremesas nas refeições, à exceção de a maçã ou a pera. As frutas menos digestivas com a comida são os citrinos, a melancia e o melão, que pioram muito a digestão, fermentados e podem causar inchaço, gases, etc.

Escolher alimentos saciantes

Os alimentos saciantes são ideais para pessoas com bom apetite, que não querem passar fome. Uma boa opção são os batidos de fruta, nos quais podemos misturar algumas frutas e bater com água. Em contrapartida, os sucos de frutas naturais não são tão satisfação, já que na maioria dos casos não contêm já a fibra da fruta.

Outra opção muito saudável é o gaspacho, um shake de vegetais (tomate, pimentão, pepino,…) que tomaremos com as sementes, para que mantenha a sua fibra natural. Além disso, sempre que pudermos deveremos optar por alimentos integrais (pão, arroz, massas, etc.), que são mais saciantes e nutritivos. A alga agar-agar, que é usado para engrossar e formar uma base sólida alimentos, também é uma boa opção para incluir em nossas receitas.

Beber líquidos

Muitas vezes o corpo nos pede comer, quando na realidade o que tem é sede. Além disso, beber nos ajuda a eliminar toxinas que se acumulam no nosso organismo. É importante que a água esteja morna e que evitar tomar água muito fria, que pode esfriar o sistema digestivo e além de dificultar a digestão dos alimentos.

Devemos beber de 6 a 8 copo de água entre as refeições, mas também podemos optar por chás.O chá verde e o chá vermelho, por exemplo, ajudam a eliminar o excesso de líquidos do organismo, e também a queimar os depósitos de gordura. Podemos preparar um litro de chá por dia, que tomaremos antes da meia-noite, para evitar problemas de insônia, apesar de que não contêm muita cafeína. Podemos adicionar um pouco de suco de limão e adoçar com estévia.

Combatendo a Flacidez! 5 Super Dicas

 

Embora alguns homens também sofrem com o problema, a flacidez ocorre com uma freqüência muito maior nas mulheres. Isto ocorre principalmente devido às variações hormonais, que alteram a produção de colágeno e elastina em mulheres.
À medida que envelhecemos, a nossa pele e os músculos começam a perder o tônus e a elasticidade, surgindo a característica aparência flácida. E embora o envelhecimento é a principal causa da flacidez, não é a única. Existem outros fatores que podem afetar negativamente os músculos e a estrutura da pele. O sol, a falta de dieta e o tabaco são alguns deles, como veremos, e se há como combater-la, podemos preveni-la.

O que causa a flacidez?
A flacidez é caracterizada pela perda de tonicidade da pele e dos músculos, e ocorre quando as fibras que sustentam a pele começam a enfraquecer. Estas fibras são de colágeno e elastina, proteínas sintetizadas pelo nosso próprio corpo a partir das proteínas do nosso abastecimento de alimentos.

Além de seu próprio envelhecimento natural, entre outras causas da flacidez, temos:

  • Obesidade
  • Gravidez
  • Mudanças rápidas no peso
  • Dieta pobre
  • Exposição excessiva ao sol
  • Herança genética
  • Estilo de vida sedentário

A perda de colágeno e água são as duas essenciais razões da perda de elasticidade da pele, e aumenta à medida que envelhecemos. Se não existe como combate-lá, a boa notícia é que há varias formas de evitar e também de diminuir seus efeitos.

Veja 5 dicas para combater a flacidez da pele:

1. Evite a exposição excessiva ao sol
Segundo os dermatologistas, uma das principais causas da flacidez é a exposição excessiva ao sol. Os raios ultravioletas prejudicam a epiderme e a derme, a camada mais profunda da pele. E é precisamente na derme, onde o colágeno, uma proteína produzida pelo corpo, se encarrega de manter a firmeza da pele. Os raios do sol têm a capacidade de destruir a estrutura do colágeno, prejudicando o suporte da pele.

2. Fazer musculação
Uma dica de muita importância para combater a flacidez é fazer musculação periodicamente. O treino no ginásio fortalece e tonifica os músculos, prevenindo o enfraquecimento das fibras musculares e da pele. E como a flacidez tende a ocorrer mais frequentemente em algumas áreas específicas do corpo, vale a pena investir em exercícios específicos para essas regiões.

3. Dietas regulares
Nós somos o que comemos, e as nossas escolhas na alimentação se refletem em nossa aparência. Para aprender a combater a flacidez, é necessário conhecer os alimentos saudáveis e dar preferência a estas opções, além de evitar certos tipos de alimentos que são nocivos a pele. Uma dieta para prevenir a flacidez deve conter muitas verduras, frutas, legumes e proteínas magras.

4. Prática de exercícios cardiovasculares
Além do treinamento com pesos, é importante que você também faça exercícios aeróbicos moderados, como caminhar, andar de bicicleta e nadar. Estas atividades fortalecerão seu sistema cardiorrespiratório e melhorar a sua circulação, assegurando a entrega de nutrientes importantes para a saúde da pele.

5. Comer gelatina
Apesar de ter se tornado sinônimo de sobremesa, a dieta da gelatina deve ser regularmente em seu menu. Além de reduzir a necessidade de comer doces com mais calorias, a gelatina sem açúcares tem uma boa quantidade de colágeno, a proteína que ajuda a combater a flacidez da pele.